Gente que veio, gostou e sempre que pode dá uma passadinha por aqui

sábado, 5 de março de 2011

336) Para Adélia Prado

Foto Lugoca




Ei, Jonathan,
também preciso
me abrir com você
e lhe contar que tenho
uma cachoeira aqui no peito
e minhas lágrimas
a fazem transbordar,
impetuosa,
impiedosa,
até,
porque me tira
o fôlego
e a voz
e os olhos marejados
não me deixam
ver o que virá
nem pra onde ir.
Tem de ser com você
este desabafo, Jonathan,
porque mamãe
já não pode
mais me ouvir.




P.S.: Jonathan é um antigo personagem da poetisa mineira Adélia Prado




13 comentários:

  1. Confidências que só se fazem a um amigo verdadeiro.
    Um bj querida amiga

    ResponderExcluir
  2. Todos precisamos de um confidente, mais que não seja, para dar descanso à mamãe. Gostei de ler.

    Bom fim-de-semana

    Runa

    ResponderExcluir
  3. Como é difícil encontrar um "Jonathan" que nos forneça desinteressadamente um colo de mãe.... que nos escute, que seja pra nós nas noites longas, solitárias e escuras, como a lanterna dos afogados.
    Feliz quem o tem!

    Linda a interpretação da Gadú.
    Me encanta a sensibilidade do seu olhar sobre a cidade.Maravilha de foto.

    bjos

    ResponderExcluir
  4. Como é interessante esta sensação de um rio correr dentro da gente e o mais estranho é que não temos a certeza de sua nascente fazemos uma idéia na qual materializamos em músculo que pulsa, contrai e expande porem nesta hora ele esta tão contraído que salta água por lado.
    Ah Adélia... quando não se tem próximo o amigo confidente escrevemos a eles.
    Bjinhos Lu e um feriado em Paz.

    ResponderExcluir
  5. E, aí, moça, o que eu posso fazer para te ajudar? E, aí, moça, se quiser sou Jonathan para você. E, digo-lhe, tua mãe pode te ouvir, pode, sim. Eu também posso, sei que não resolve muito, mas, mineira, eu te entendo, eu te entendo...

    Temos a mesma idade, mas dá vontade de pegar você no colo, igual faço com a minha filha. Vou ter que ir aí, é isso, não é? Mineiro é fogo!

    Estou te esperando.

    Beijos,

    Suzana (sem LILY, vim sozinha)

    ResponderExcluir
  6. ÀS vezes sou Jonathan, às vezes quero um Jonathan... mas é uma vontade se contradiz, nem sempre queremos que o nosso rio transborde, vai que ele não para mais!
    mas como bem canta Maria Gadu... a gente ainda sabe "se virar"

    amei a interpretação...

    BjO
    e, parabéns, você é uma das que merecem, todos os dias. Mas simbolicamente, temos apenas 1, como comentei no blog da Lilly, só simbolicamente mesmo, afinal o que seriam dos dias sem as mulheres... mesmo que em alguns deles nós venhamos a precisar de algum Jonathan ;)

    vou-me,sempre te admirando...

    bjãO da ÉRica

    ResponderExcluir
  7. Amada Lu, passo, antecipadamente, para desejar um feliz Dia Internacional da Mulher, apesar de todos os dias serem dias de comemorar nossas conquistas e a vida tb!
    Bjo e paz e sorrisos pra ti, minha amiga.

    ResponderExcluir
  8. Oi, querida.

    Passando para matar a saudade do seu espaço lindo. :)

    Amei o poema!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. Olá Lu! Também sou admiradora dos poemas da Adélia Prado,( claro, tinha que ser mineira, né ;)

    E parabéns para nós mulheres, fortes, sensíveis e eternamente apaixonadas pela vida!

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi Lu!!
    Fiz um selinho especial para o Dia Internacional da Mulher e adivinha?? Você merece muitooo ganhar este presentinho!!
    Passa lá,ok!!
    Bjinhos

    ResponderExcluir
  11. Como seu blog é fofinho, fiz um meme especial para você!

    http://www.primeiro-livro.com/2011/03/seu-blog-e-muito-fofinho-meme.html

    Espero que goste!
    Beijinhos,

    ResponderExcluir
  12. tão bom ter alguem que nos escuta, mesmo sendo imaginario...

    ResponderExcluir
  13. Lu!
    passando pra dizer "OoooIIi", e agradecer pelo seu comentário,poxa, nem sei se sou tudo aquilo, mas fico realmente lisonjeada com o teu carinho, acredite, é, de minha parte, muito bem retribuído ;)

    realmente, tem gente que a gente nem conhece, mas conseguem extrair sensações boas da gente... vai saber, será que Freud explicaria? Se sim, problema dele rsrsrsr... prefiro que as coisas boas fiquem mesmo inexplicáveis.

    bjãO

    ResponderExcluir

Eu gosto muito que você comente!